::::: Central Sul de Jornais ::::: O MAIOR PORTAL DE JORNAIS :::::
 
::::: Central Sul de Jornais ::::: O MAIOR PORTAL DE JORNAIS :::::
Região do Vale do Rio dos Sinos
 
Escolha a cidade ou região para localizar
Jornais, Rádios, Prefeituras e ver notícias locais.
 
 












  A - | A +
Região do Vale do Rio dos Sinos
01/11/2016    Fonte: Prefeitura Municipal de Campo Bom
ECONOMIA
Campo Bom atinge maior arrecadação per capita de ISSQN da região e 4ª maior do RS

CAMPO BOM obteve esse ano, um desempenho incomum aos municípios. Enquanto para maioria das cidades a maior fonte de receita não-vinculada é o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) ou o Fundo de Participação dos Municípios (FPM), Campo Bom desenvolveu mecanismos próprios de arrecadação que culminaram, esse ano, em transformar o Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) na maior fonte de receita da Prefeitura (54% da receita própria e 17% da receita geral), superando a casa dos R$ 4 milhões ao mês. O desempenho coloca Campo Bom como o 4º maior ISSQN per capita do Rio Grande do Sul (Triunfo lidera), seguido de Gramado e Porto Alegre.

A aposta da Administração na área de Serviços é a principal razão desse resultado, pois os mecanismos de gestão adotados pela Secretaria Municipal de Finanças resultaram na elevação da arrecadação do tributo sem a necessidade que qualquer aumento de alíquota. "É lógico que o aumento do número de empresas prestadoras de serviços na cidade repercutiu neste desempenho, mas, além de uma alíquota muito atrativa (2%) o impacto maior foi em virtude da gestão dos recursos tecnológicos e eletrônicos que adotamos e que fazem de Campo Bom hoje uma referência em cidade digital", destaca a titular da pasta Fabiana Kellermann.
Pioneiro na implantação na Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e), de 2009 a 2016, o município apostou em ferramentas tecnológicas para impactar a receita. De lá para cá a emissão da nota passou também a ocorrer também pelo celular (NFS-e Móvel) e houve ainda a implantação do Portal do ISS Eletrônico (2014), um canal direto com o contribuinte e facilitador às empresas. "Se por um lado investimos em ferramentas para gerenciar o tributo, por outro, trabalhamos diretamente na outra ponta, junto às empresas, auxiliando, preparando e treinando colaboradores e até contabilistas e contadores para dominarem o uso destas ferramentas", destaca Fabiana. Ela também revela que outro segredo deste resultado foi a aposta da Administração nas empresas de tecnologia da informação ao ponto de se criar na cidade o Programa de Incentivo à Instalação e Permanência de Empresas de Tecnologia da Informação, cujo objetivo é fomentar a contratação de mão de obra local em troca de incentivos fiscais. "Todas as empresas de serviços são importantes, mas focamos nas de tecnologia como uma aposta à diversificação ao calçado, sendo que esse programa possibilitou que muitas empresas de grande porte se instalassem em Campo Bom e ainda empregassem pessoas daqui".
Como resultado de tudo isso, Campo Bom deu um pulo. A começar pelo número de empresas prestadoras de serviços que aumentou 98% saltando de 1.638 em 2009 para 3.257, sendo que o setor responde por 69% do total (4.683) de empresa da cidade (em 2009 o setor respondia por menos da metade). Proporcionalmente, a arrecadação com o tributo também incrementou: cresceu 338% de 2009 pra cá, enquanto o ICMS aumentou 16%. Enquanto na maioria das cidades a participação do ISSQN na receita própria é, em média, 20%, em Campo Bom chega a 54%, sendo que a receita própria compõe 31% da receita geral do Município e nesta, o ISSQN entra com 17,21%. "Os números mostram que o ISSQN atualmente é a maior fonte de recursos livres da Prefeitura, devendo ser ainda mais expressivo até o final do ano", antecipa Fabiana.

Sílvia Trovo
Assessoria de Imprensa


       

Leia Também:

 

::::: Central Sul de Jornais ::::: O MAIOR PORTAL DE JORNAIS :::::
::::: Central Sul de Jornais ::::: O MAIOR PORTAL DE JORNAIS :::::

 

Central Sul de Jornais - Todos os direitos reservados